Estaleiros Navais de Peniche

Endereço:
Estaleiros Navais de Peniche, S.A. Molhe Leste
Cód. Postal:
2520-620 L P
País:
P
Telefone:
+351 262 780 420
Fax
+351 262 783 792
E-mail:
info@enp.pt
Website:
http://www.enp.pt

Associado Nº190

Os Estaleiros Navais de Peniche, S.A. (ENP) nasceram em 1994, após terem ganho a concessão das instalações existentes no Porto de Peniche e pela fusão de diversas empresas locais que trabalhavam na área da Construção e Reparação Naval.

Apesar de jovem, ele concentra o saber de gerações que em Peniche sempre se dedicaram à Construção Naval. Nasceram, fundamentalmente, pela necessidade de apoiar a manutenção da frota local. No entanto, a dinâmica que se seguiu ao forte investimento feito durante os anos de 1998 e 1999, levou a que se visse obrigado, junto do mercado, a concorrer também na área da Construção Naval.

Contrariamente a muitos estaleiros nacionais e mundiais, as suas características são generalistas, trabalhando todos os materiais: madeira, aço, alumínio e compósitos

Alia no presente o saber da tradição da construção naval em madeira às tecnologias mais avançadas no ramo dos compósitos.

Com uma área de aproximadamente 50000 m2, da qual 34000 m2 são de estacionamento para as embarcações em reparação, dispõe de uma plataforma de elevação, com 6 cilindros hidráulicos sincronizados, para embarcações até 50 m de comprimento fora a fora e 700 t de deslocamento.

Actualmente, dispõe de 320 m de cais acostável, a cotas de -6,00 m do zero hidrográfico, possibilitando reparações a flutuar para unidades até 120m de comprimento. Com um volume de negócios que nos últimos 2 anos quintuplicou, prevê-se que, no final do ano, ronde os 25 milhões de Euros.

Os Estaleiros Navais de Peniche dispõem actualmente das seguintes Secções produtivas: Compósitos, Construção Naval (Aço), Serralharia Mecânica, Carpintaria Naval e Manobras/Pintura, totalizando uma área coberta de 8300 m2, incluindo duas naves cobertas para a construção em aço ou reparações abrigadas.

Fruto da multiplicidade de disciplinas que detém, consegue aliar a inovação à tradição, tendo já construído embarcações com casco em aço e superstruturas em madeira, nomeadamente duas embarcações “restaurante” com fins turísticos, tipo “Rabelo” para o Rio Douro, uma embarcação de pesca com casco em madeira e superstrutura em alumínio, um ferry-boat com o casco em aço e superstrutura em compósitos para o transporte de passageiros e carga para a empresa SECÍL MARITIMA, de Angola, um palangreiro de 24 m de comprimento com casco em aço e ponte em compósitos, e recentemente foram entregues 10 cercadores com casco em aço e superstrutura em compósitos, de 19 m de comprimento, para o Ministério das Pescas de Angola.

Construção de duas unidades ferry-boats para a empresa Atlantic Ferries – Grupo SONAE – com capacidade para 350 passageiros, com 42 m de comprimento fora a fora, casco em aço e superstrutura em compósitos.

Construção de uma série de cinco catamarans para 73 passageiros para o Governo do Estado dos Rios, na Nigéria, com 18,5 m comprimento, propulsão por Water-jets, atingindo uma velocidade de 23 nós. Presentemente, encontra-se uma unidade pronta para embarque.

Construção de cercadores de 19 m para o Ministério das Pescas de Angola.

Os ENP estão abertos a todos os mercados e não só especificamente ao mercado da pesca. Embarcações de trabalho, militares ou para militares com funções de fiscalização e vigilância, de lazer, réplicas históricas, e outras são mercados que os ENP procuram atingir, tanto em compósitos como em aço, madeira ou alumínio.

A reparação naval é a outra vertente que a empresa procura desenvolver e alargar a todo o país. Actualmente, os ENP efectuam a alagem de 150 embarcações para manutenção anual, com mais de 10 m de comprimento fora a fora, sendo 72% destas em madeira e as restantes em aço e PRFV. Os ENP são dos poucos estaleiros que têm a capacidade de promover a reparação em simultâneo de 16 embarcações nas diferentes áreas da madeira, aço, poliéster e alumínio. As óptimas condições de parqueamento e as facilidades de movimentação das embarcações no parque de reparação flexibilizam bastante as capacidades de reparação. Com um volume actual de cerca de 2 milhões de Euros no sector da reparação naval, esta é a área que se está a procurar expandir, fundamentalmente para as embarcações em aço e em alumínio que não sejam de pesca.

Para além das actividades meramente relacionadas com as áreas de construção naval, os ENP estão também a diversificar a sua intervenção nas energias renováveis, em especial na energia das ondas, com participação no Projecto “Pelamis” – OPD – Ocean Power Development, empresa tecnológica Escocesa e com a empresa Finlandesa AW-Energy, tendo o módulo de produção sido inteiramente produzido nos ENP, a asa em material compósito e a estrutura metálica de assentamento. Duas máquinas aguardam conclusão dos testes e transporte para Aguçadora – Póvoa do Varzim.